Um até já & Life Update

IMG_0866
E assim se tomam grandes passos. Com muito amor. Algum medo. Ainda sem título. Só um rascunho dele.
Para quem me tem perguntando (sim, felizmente houve leitores por aí que sentiram a minha ausência!), o blogue não anda em águas de bacalhau, como dita o nosso bom português (!). Tenho andado dividida entre mudar de casa, de rotinas e encargos. Acredito que já tenha dito algo por aqui nas entrelinhas. Contudo, agora é oficial:
As idas ao Ikea tornam-se planos de fim-de-semana e as partilhas de tarefas uma conversa frequente. A verdade é que juntar os trapos se tem vindo a tornar uma agradável certeza. Já antes o era, mas esta sensação de validação e de que tudo se vai encaixando naturalmente é reconfortante. Contudo, mudar de espaço, de vida e de cidade não é fácil, embora este tenha sido um processo gradual. Não é o meu caso o de "sair de casa dos pais". Já vivia sozinha com a minha irmã e tinha a minha própria noção de se gerir uma casa.
No entanto, agora as expectativas são outras. É um querer muito presente de que tudo funcione e um medo - talvez ainda maior - de que a estabilidade que sempre se fez sentir na minha relação se abale. Eis que tudo parece fazer sentido!. Sei agora que, apesar de inesperado (fora dos meus planos iniciais), foi o passo certo. Invariavelmente ando muito cansada. Dei-me tempo para parar um pouco e me afastar das redes sociais. A Joana de outrora nunca acreditaria que se passariam dias seguidos sem abrir o computador (...). Mas, aqui e agora, ao escrever estas linhas com uma nova vista sobre Lisboa num décimo terceiro andar de um prédio, a tranquilidade instala-se.
O blogue será um reflexo desta mudança. Também ele irá mudar. De cara, de conteúdo, mas sempre com a mesma essência. É um até já!
(Sorry, this time there's no English version. Basically, I took the step and moved to Lisbon to live with my boyfriend. What a change!
Soon, others changes will be reflected here on the blog! Can't wait to share this new page with you!)

A Star is Born

Antes demais, deixem-me que comece esta publicação com uma pequena reinvindicação: os preços dos bilhetes estão carissímos! Já são sete euros por adulto! Sete! Dito isto, são muito raros os filmes que me convencem a deslocar-me às salas de cinema nos tempos de hoje.
Prefiro o conforto do sofá, o aconchego de uma manta e o meu abraço preferido. O dele. Vá, permitam-me ser lamechas, também.
Muito ouvi falar deste filme (!). Ora aqui, na blogosfera, por entre amigos, ora em conversas de café. Não sei se tamanha publicidade ao mesmo se deveu à natural curiosidade da participação da celébre Lady Gaga e da sua parceria com Bradley Cooper!. Foi quase como que uma troca de campos profissionais. Ela estreia-se enquanto atriz e ele enquanto cantor (segundo os meus sigelos conhecimentos). E vai dai, meio mundo ficou com a pulga atrás da orelha. Eu inclusive!. E, como tal, cometi a pequena loucura de me enfiar, em pleno feriado, no centro comercial do Colombo. Se valeu a pena? Ainda estou a ponderar.
Quanto ao filme em si, a novidade é pouca tendo em conta que se trata de um remake de um filme que data dos anos cinquenta e tantos. É, por isso, um argumento muito previsível. O que lhe dá corpo é a banda sonora e a excelente interpretação das personagens principais.
A Lady Gaga ganhou pontos e Cooper também. O filme, em resumo, vale por isso!. Já o argumento é, a meu ver, fraco. O que me agradou foi o propósito na abordagem do filme. Trata-se, no fundo, de uma critíca à indústria musical. Uma crítica ainda cruelmente actual, em que o sucesso exige uma desporsonalização do artista dotado de talento. Se bem pensarmos, a própria Lady Gaga iniciou a sua carreira de forma bem diferente. Lançou um disco com o seu nome veridício e só quando deu nas vistas com a sua excentricidade, vestida com bifes e afins, foi notada. Primeiro pela estranheza, depois pela voz. Agora sim vemo-la sendo quem é verdadeiramente, e não tanto um mero produto. Sim, um produto que gera dinheiro para terceiros. Agora imaginem como se sentirá um ser humano quando é forçado à mudança extrema perante um sonho? Haverá só um caminho até lá? Será por isso compreensível que tantos artistas terminem as suas vidas de forma abrupta, ou se tornem alvo de consumos tóxicos, quando acabam por viver um sonho que já não lhes pertence.
Neste sentido, achei o filme pertinente e interessante (...). Talvez ganhe algum destaque em termos de banda sonora nos óscares!, mas de resto creio que não vá por aí além. Sinceramente.
Veremos qual será o próximo filme que me tira do sofá. Logo agora que ando a averiguar a compra de um novo! Ahah!

Desafio 1+3 | Em casa.

HOME
  Esta é uma palavra que tem sido frequentemente mencionada por estes lados. É um tempo de mudança e, pela primeira vez, a minha noção de casa mudou. (...) Já não é mais onde a minha família está (!). Essa está longe!. No presente momento em que vos escrevo, encontro-me sozinha a escrever estas quantas linhas e parece-me que estas paredes não soam tanto a casa quando está vazia como hoje.
É aconchegante. É me familiar. Tem um cantinho muito meu - o meu quarto, mas falta-lhe a sua essência. Uma televisão com o som no máximo porque o meu pai está por cá, os tachos e pratos num constante frenesim perante os cozinhados da minha mãe e até mesmo a voz estridente da minha irmã no background. Sinto falta desta harmonia, por muito que refile com cada um destes pequenos detalhes. Eram a minha noção de casa. Nós, os quatro, ainda que por momentos com cada um no seu cubículo. Sinto-lhes verdadeiramente falta. Especialmente agora. O cheiro muda, o silêncio perturba, e o tempo estreito e dividido entre Lisboa e as horas perdidas em transportes torna a chegada a casa numa inevitável partida (!). É um entra e sai. Não a sinto mais casa por muito que me doa admiti-lo. Desconcerta-me, por vezes, porque sei o quão sortuda sou por viver numa vila como a minha, tão pacata. É um misto de campo, natureza, tradição, boa gastronomia, de casas amarelas e brancas, de queijos e de vinho, que perdem a graça quando não há com quem a partilhar. E ontem, num T1, bem no centro de Lisboa, bem no meio da confusão, convenci o meu namorado a mudarmos a disposição dos móveis da sala. A dele. Eventualmente nossa. Ficou um pouco mais casa depois disso, pois criámos planos a dois e alinhámos expectativas. Eis que aquelas quatro paredes num décimo terceiro andar ganharam outra vida, aquela que se inicia lá dentro.
Eu cá não sei o que me espera (talvez umas idas ao IKEA, muito em breve...!), mas consigo pressentir que novos ares se seguem. E que isto de se ser adulta passa por construirmos a nossa casa por onde quer que passemos. Pode demorar, pode ser difícil, mas possível. Quer seja em Lisboa, numa vila pacata ou num país estrangeiro em que tudo nos parece desconhecido.


* Texto escrito no contexto do desafio da Carolina. Obrigada. Fizeste-me partilhar mais de mim.
Direitos de Autor de Imagem: https://www.flickr.com/photos/tronomics/. Vale a pena vasculhar a galeria do autor!

Um fim-de-semana a dois

Faz tempo desde que me sentei perante a minha secretária para escrever umas quantas linhas. A vida é danada, e a minha tem sido alvo de altos e baixos, bem ao modo de uma montanha russa, pelo que me foi impossível concretizar os planos até então delineados (!). Se por vezes nos parece que tudo acontece devagar, há outras tantas em que gostariamos de ter algum tempo extra para reflectir. Não há muito tempo pensava que nunca mais acabava o curso. Estava impaciente. Queria dar o próximo passo. Agora, independente, experimentei o doce e o amargo sabor desta nova realidade. Fui passear num fim-de-semana prolongado até à Invicta que eu tanto amo. Foi uma rápida escapadela a dois, seguida de um triste incidente. Assistir à partida de um familiar próximo e sentir o peso de ter que sustentar quem cá fica. Ter casca dura pode dar jeito em situações destas, mas é inevitável sentir um cansaço extremo no depois. E assim foi. Precisei de me retirar para regressar com novo afinco. Assim eu espero, pois a vida acontece e não tarda está aí à espreita uma nova mudança. Mas essa conto-vos depois, sim?! Há que ganhar certezas e caminhar num bom rumo.
Deixo-vos antes com algumas das fotografias que o Ricardo, o meu namorado, tirou pelo Porto e por Aveiro (...). Não estranhem por isso o facto de eu aparecer mais do que é habitual, ainda que meio que distraída nos meus afazeres de vlogger. Será que isto pega?
IMG_3018
Assim como quem não quer a coisa e com a culpa de quem falhou ao compromisso da última publicação, deixo-vos com um pequeno presente: um dos muitos vlogues que tento ao longo dos anos fazer (ora clica aqui). Achei o vídeo tosco, e fora do que tenciono produzir, contudo é um vídeo caseiro, sem filtros e simples. Editei, como sempre o faço, em prol das memórias que gosto de preservar, o que só por si faz valer a pena. Este é, no fundo, um aguçar da curiosidade para o que aí vem!

Ju Vibes no Youtube

1
Eu bem disse que haveriam novidades em breve por aqui. E ei-las então:
Outubro será um marco importante, porque há muito tempo que pensava dar este passo e acabei por hesitar, ora por falta de tempo, por vergonha, por receio e outros tantos motivos infundados. A verdade é que sempre editei vídeos caseiros para uso pessoal (antes mesmo de o youtube sequer existir (!). Tenho, por isso, autênticas pérolas em que fiz uma tour à minha casa com apenas 8 anos ou em que filmei coreografias da Britney Spears!). Afinal, há recordações que quero continuar a preservar para além do formato fotográfico, e como tal, matutei e pensei: "Porque não transpor isso para um canal de youtube?!". Não foi um processo fácil, o de decidir, porque nem sempre me identifico com uma maioria do conteúdo presente na plataforma. Mas depois de descomplicar um pouco apercebi-me de que este canal será meramente um complemento ao blogue, e que refletirá as boas energias que tanto quero emanar. Irei cingir-me às minhas paixões, pelo que as temáticas serão semelhantes, à base de viagens, dicas, reflexões, decoração, alimentação, etc. No fundo, será uma mixórdia de tudo e mais um pouco, agora com um maior dinamismo.
Não pretendo deixar a escrita para trás! Inclusive, espero trazer mais gente para o mundo dos blogues! Temos tantos e tão bons! Até lá, é favor de aguardar pela próxima sexta-feira. Será a grande estreia! Espero que gostem e que fiquem por aí!