Vinte e sete anos, 27 lições.

  Completei vinte e sete anos este domingo passado, exactamente entre a uma hora da madrugada e as duas, período durante o qual se acertou o novo horário de verão. Ainda tentei escapar-me à comemoração a que todos os anos me obrigam, mas não me foi permitido.
Apesar de nunca ter percebido o real motivo pelo qual a nossa cultura ocidental sobrevaloriza os aniversários, acabei, mais uma vez, por ceder e alinhar nos telefonemas sem fim (sinal de que sou lembrada e de que tenho uma família gigante - eis o lado positivo). Contudo, parece-me que "dar os parabéns" é um fenómeno estranho. Ora, pensem comigo: quando nos congratulam durante este dia, sentimos orgulho por um feito nosso? Um sucesso? Será que perante uma real conquista recebemos metade dos comentários num mural de uma rede social? Eu diria que não e talvez isso diga bastante da nossa sociedade.
No entanto, confesso que os anos me moldaram e que este dia, bem como os que o circundam, acabam por ser repletos de introspecção. O que aprendi, afinal? No que se traduzem vinte e sete anos de vida e de consequentes experiências? Traduzem-se em apenas 27 frases, isto é, vinte e sete lições que a minha "pequena voz" interior tende a repetir.
  1. Viajar é o melhor veículo de auto-conhecimento;
  2. ;
  3. Ser-se emocionalmente independente passa por se saber estar sozinho;
  4. Haverá sempre alguém que não gosta de nós (às vezes, sem nos conhecerem, e sem intenção de o fazer);
  5. Dedica-te ao que te faz e sê bom no que fazes;
  6. Cuidar dos outros é desafiante, cuidar de nós próprios ainda mais;
  7. ;
  8. Desculpar quem tanto nos magoou não é libertar o outro da culpa, e sim libertar-nos a nós próprios;
  9. Gostar do que vemos ao espelho não é ser-se superficial. Afinal, cuidar de fora para dentro é tão viável como de dentro para fora;
  10. Não te preocupes tanto com aquilo que não controlas;
  11. Fazer projectos a dois não é sinónimo de perder a individualidade;
  12. A mudança pode ser positiva tanto quanto a estabilidade da rotina. Há que balançar o querer ficar com o ir;
  13. ;
  14. Dedicar tempo a outra pessoa é o melhor presente que se pode dar;
  15. Há memórias que não se captam, vivem-se no momento;
  16. É possível encontrar alguém mais perfeccionista, mais maduro e mais teimoso que tu;
  17. O humor é uma arma poderosa, mas subtil;
  18. Não há nada mais sexy do que uma mente perspicaz e inteligente;
  19. Sê mais tolerante, nem todos têm o mesmo ritmo e ambições;
  20. (e ela acontece rápido demais);
  21. Há amigos que são para a vida, outros que ficam por instantes, e outros que vão e regressam. Todos eles igualmente importantes!;
  22. Há cafés que podem mudar uma vida. Duas, aliás;
  23. Nem tudo é tão mau como parece numa primeira instância;
  24. Não procures a aceitação nos outros e sim dentro de ti;
  25. A paciência será um dia o teu maior aliado;
  26. ;
  27. Ama muito, sem cair na tentação de mudar o teu jeito de ser em prol desse amor.
Estas são as vinte e sete lições que me levaram a evoluir e a tornar-me numa Ju mais calma, confiante e rodeada de quem me faz bem. A vida vai dando as suas voltas (e que voltas!). Cabe-nos a nós aprender com elas, certo?

1 comentário: