Pelo centro de Setúbal.

  Moro permanentemente no distrito de Setúbal há cerca de três anos, mas sempre considerei esta a minha casa. Se me perguntarem de onde sou, respondo sem pensar: "Sou de Setúbal!". Cresci aqui... Foram as ruas por onde corro agora que aprendi a andar de bicicleta, que me perdi com o meu pai nas caminhadas pela serra, que me esfolei nas brincadeiras com os meus primos. Era a minha casa dos fins-de-semana, por onde passeava em família. Foi nesta casa, que os meus pais construíram de raiz, que me tornei mulher e comemorei cada aniversário. Foi também na Serra da Arrábida que fiz as maiores promessas e tomei grandes decisões. No fundo, apesar de ser lisboeta, conheço melhor Setúbal do que muitos dos seus residentes, e agradeço aos meus pais pela oportunidade de crescer num cantinho que me oferece de tudo. O melhor da cidade e do campo. Um equilíbrio perfeito, ao qual chamo de lar. Eles poderiam ter escolhido qualquer outro local, afinal nada nos agarrava aqui. Simplesmente se apaixonaram por Setúbal, pela Serra e por Azeitão. E eu confesso-vos que percebo o porquê. Sempre quis mudar-me para cá. Bati o pé com 15 anos. Queria fazer o liceu por aqui... Com muita pena minha, tal não aconteceu. Passei a frequentar o café da zona - o spot do meu verão de que vos falei, e invejo a comunidade de jovens que se encontram e se conhecem desde sempre. Na cidade onde cresci não existia essa proximidade, em que todos se encontram no sítio de sempre, com as mesmas caras conhecidas. E depois há um acréscimo: os setubalenses são, maioritariamente, despachados e muito simpáticos. Existem sim traços característicos, como o hábito de se falar com estranhos nas ruas, e eu gosto disso. De faladeira tenho muito. E se forem tão atentos quanto eu, apercebem-se por entre gente simples de alguns trejeitos: o carregar dos erres. Para isso terão que ir bem ao centro da cidade, como eu habitualmente faço. Desta vez, trouxe-vos comigo!

 IMG_2146 IMG_2148
IMG_2282 IMG_2218
  A minha irmã alinha sempre nestas aventuras fotográficas. Bem, quase sempre. São muitas as vezes que cá venho sozinha na zona da "Baixa" Setubalense. De cada vez que volto admiro-me com a mudança evidente no cuidado com as fachadas, e com novos restaurantes (Setúbal não é só choco frito!) e lojinhas locais. Para as grandes fast-food do comércio, temos o centro comercial Alegro ali ao lado, que é um dos meus centros comerciais favoritos pela tranquilidade. Se caminharem por entre as ruas irão perceber o porquê.
IMG_2157 IMG_2174 IMG_2177 IMG_2176 IMG_2158 IMG_2179 IMG_2180 IMG_2214 IMG_2206
A avenida Luísa Todi merece especial atenção, por ser a principal rua da cidade. A cada recanto irão encontrar um edifício que merece ser capturado. Eu gosto especialmente de caminhar pela zona central da mesma com os seus jardins aprumados e calçada portuguesa, contornando o coreto e observando a biblioteca, o mercado, o próprio fórum Luísa Todi e a Galeria Municipal. Não se deixem ficar pela praça do famoso Bocage. O melhor de Setúbal são as suas ruas estreitas com agente que lá sempre morou (Sabiam que agente/nós tem origem setubalense?), e que tal como Bocage são danados para a brincadeira. É só darem conversa que algum velhote sentado num banco vos cita este poema que passo a partilhar de seguida. Ora faz lá scroll down, porque vai valer a pena a gargalhada. ↓
IMG_2186 IMG_2216
Quer seja curto ou comprido,
Quer seja fino ou mais grosso.
É um órgão muito querido
Por não ter espinhas nem osso.

De incalculável valor
Ninguém tem um a mais
E desempenha no amor
Um dos papéis principais.

Quando uma dama aparece,
Ei-lo a pular com fervor.
Se é um rapaz, estremece.
Se é velho, tem pouco vigor.

O seu nome não é tão feio,
Pois tem sete letrinhas só.
Tem um R e um A no meio.
Começa em C e acaba em O.

Nunca se encontra sozinho.
Vive sempre acompanhado,
Por outros dois orgãozinhos
Junto de si, lado a lado.

O nome destes porém
Não gera confusões
Tem sete letras também
Tem L e acaba em ÕES

Para acabar com o embalo
E com as más impressões
Os órgãos de que eu falo…
São o coração e os pulmões. - Poema de Bocage. 😆 Suas mentes perversas... Por esta já entravam na biblioteca, certo?
IMG_2279 IMG_2281
Retornando ao foco da publicação, aconselho-vos a perderem-se pelas ruas e ruelas. Procurem pelo arco da Ribeira a partir da Avenida principal. Irão dar a uma praceta amorosa com uma Oliveira no seu centro. É um dos meus cantinhos preferidos. Excepcionalmente neste dia, a cidade estava a preparar-se para alguns eventos culturais e, ao que parece, a noite foi animada com teatro de rua, concertos minimalistas ao vivo em bares acolhedores e que eu desconheço por completo. Citou-se shakespeare e tudo! Fiquei realmente curiosa e espero que a experiência se repita a tempo de eu me organizar e dar as minhas graças nestes eventos. Já vos disse que adoro teatro?! Numa outra vida devo ter pisado um palco. Bem, nesta vida também já o fiz, mas é segredo! (...) Agora prefiro ficar na plateia e emocionar-me com a arte de quem gere sentimentos.
IMG_2223 IMG_2228 IMG_2247
Mas não se pode esquecer que Setúbal é uma cidade piscatória, de bom peixe, pelo que o melhor spot é algures perto do Rio Sado com vista para Tróia. O mercado é paragem obrigatória. Não há melhor sítio para se sentirem verdadeiramente em Setúbal que o Mercado do Livramento. Quero lá regressar numa manhã de dommingo para comprar peixe e fotografar os seus magníficos azulejos e fachada exterior em rosa salmão.
IMG_2285
Aqui está o programa cultural de que vos falei. Decorreu no final de Agosto e parece-me que é já algo recorrente por cá (nem fazia ideia), pelo que estas fotografias vos chegam bem atrasadas. Para o ano espero aproveitar um pouco mais do que a cidade tem para oferecer nesta vertente! É sempre um bom motivo para conhecer o interior do Fórum de Luísa Todi!
IMG_2289 IMG_2283
 Sempre que volto ao centro de Setúbal encontro algo de novo, e já tenho uma lista de locais que quero vasculhar e dar mais destaque por aqui, ora porque são novidades ou porque são já um must go a cada regresso meu, eis como o forte de S. Filipe, um ou dois restaurantes, a nova gelataria, ou até mesmo um barzinho perfeito para uma conversa a dois no final do dia à beira-rio, com a Serra no horizonte e o sol a adormecer por detrás da mesma. Há melhor do que esta simplicidade e leveza?! Espero conseguir ter tempo para umas escapadelas saudáveis por entre os diversos turnos que me esperam neste meu último estágio em contexto hospitalar, pois inicio agora estágio em Cuidados intensivos (pelos quais acredito que me vá apaixonar) e, de seguida, irei estagiar perto de casa, integrada na comunidade.
Terei todas as condicionantes a meu favor para conhecer ainda melhor Setúbal, não vá eu andar por aí a fazer domicílios ou formações de promoção de saúde em escolas. Tudo se encaminha no bom sentido!
  Até lá há que aproveitar cada segundo livre, nem que isso implique levantar-me cedo para correr de manhã, meditar, e renovar o stock de Serotonina. Quem sabe amanhã não mude de vistas e o vá fazer exactamente à beira-rio? Parece-me bem!

1 comentário:

  1. Fui poucas vezes a Setúbal e nunca me atraiu muito... Erradamente, pelo que vejo. Percebo bem esse gosto pelos mesmos locais de sempre, mas para isso precisas de te identificar com as pessoas e com o local. Às vezes consegues isso em sítios grandes, se assim o for...

    ResponderEliminar