O balanço 5 meses depois.

Desde o primeiro dia em que me estreei neste blogue - há cerca de cinco meses - prometi que iria fazê-lo dentro dos meus critérios e com o que me faria sentir confortável e segura (por experiência com anteriores blogues). Nada mais para além disso. Sem grandes objectivos ou ambições de o tornar num cantinho virtual conhecido entre o mundo da blogosfera. Pensei que seria um compromisso para comigo mesma. Um projecto, assim diguemos, onde teria liberdade para expressar a minha arte. 
Eu sabia que pouco se lê e se o fazem é por entrelinhas na esperança que um comentário gere uma resposta ou um follow, um re-follow, pois que agora bomba o youtube, o facilitismo e tudo o que é de imediato. Na verdade, nunca pensei em divulgar o que escrevia em redes sociais (à excepção do twitter que para mim é uma reunião com outros leitores e donos de blogues portugueses maravilhosos), até que se tornou inevitável alguns amigos perguntarem-me "Ju, com tanta fotografia maravilhosa no teu instagram nunca pensaste em escrever um blogue?". E a resposta era natural e orgânica. Sim, já o tenho. Eu sabia que tinha em mim uma necessidade gritante por partilhar as minhas fotografias e viagens, mas também sabia que ser-me-ia difícil omitir partes da minha vida que não são assim tão cor-de-rosa...
Inicialmente, recordo-me de ter criado uma curta lista que teria que cumprir à risca na elaboração do conceito de Ju Vibes:
  1. , o que tenho cumprido até então (e não pretendo mudar!); 

  2. (...) para além do estritamente necessário, de forma a que nunca sentisse a necessidade de apagar nada mais tarde;
    Acontece que dei por mim a querer escrever sobre temáticas que em muito me ajudariam a crescer e valorizar aquilo que a blogosfera tem de bom. A partilha, sem ser necessário recorrer a casos particulares. E quando aqui venho, apesar de me orgulhar do conteúdo que partilho, sinto que falta personalidade. E isso eu tenho em excesso, dizem alguns. Se em pessoa falo sem tabus, porque haveria de o fazer na escrita, onde o pensamento me é tão mais claro? Por isso acredito que será mais comum publicações sobre reflexões de experiências de vida, sem travões ou filtros, para além das viagens.
  3. , através da mudança que procedi em vários aspectos da minha vida;
    Neste tópico é interessante de notar que são várias as publicações em rascunho que falam sobre equilíbrio e auto-estima. E nem sempre é assim. Não consigo transparecer segurança ou motivação se não expressar o outro lado da moeda, a melancolia que também me caracteriza. Guardo reflexões sobre a tristeza, desgostos de quem se desiludiu com pessoas queridas, que viu pura maldade nas suas acções em contraste com o amor no olhar, sobre a morte, a partida, a solidão... Tudo isto é vida, tudo isto é energia! Acredito que irei escrever mais sobre esta minha crença espiritual, de que tudo é devido a um estado de energia que nos rodeia e envolve. Está presente em cada um de nós e em cada lugar, assim acredito.
  4. ;
    Ora, para os leitores mais atentos, saberão que sou estudante de enfermagem, o que acarreta uma data de histórias interessantes para contar. Nunca o fiz porque considero que haja coisas que se guardam apenas no nosso coração. Contudo, também sei que há formas de o fazer sem ultrapassar o limite do que é para mim o respeito pelo próximo. E foi quando estava há dois dias atrás perante a nova turma de caloiros a coordenar um workshop, com uma diferença de cerca de 9 anos de idade de mim, que se fez o clique. Estava eu a falar de experiências em contexto clínico. O que queriam ouvir eram piadas. Cocós e xixis. Pensos, traumas, emergência. Pouco lhes cativou o entusiasmo com que se fala de amor, da primeira vez que chorei com uma pessoa que cuidei, da primeira vez que ultrapassei a barreira do institucional e me deixei ser eu, a Ju, de farda branca. Eu amo esta escolha que fiz. Fez de mim uma pessoa melhor e mais atenta. Há também diferentes formas de se ser enfermeiro, e eu bem o vejo, no entanto, creio que este blogue possa transmitir a forma como eu perspectivo a enfermagem em tempos em que se fala tão mal da mesma. 💦 Tristemente. Penso que não se saiba, socialmente, o que é ser-se enfermeiro, daí que fica a promessa de partilhar mais este meu mundo que me engole tantas vezes. Não faria sentido não o fazer, visto que poderá ser à custa da enfermagem que tantas outras viagens se realizem. Quem sabe?
  5. ;
    Acontece que estes últimos meses senti a necessidade de expressar-me um pouco mais através das minhas escolhas pessoais no que dita a beleza, maquilhagem (eu adoro!), cabelo, dicas culinárias, informações fiáveis na área da saúde, desporto, yoga, e muito mais. O texto sobre o meu carro foi um teste. Foi a publicação que recebeu mais visitas num curto espaço de tempo, pelo que parece que será bem vindo temáticas diferentes.
Mudar faz parte. Há é que deixar a mudança acontecer e fazer parte de nós.
IMG_2210
    Assim sendo, será evidente uma nova fase aqui no blogue. Irei certamente ser menos imparcial. Menos politicamente correta..! Menos Mrs. Certinha como os meus amigos me descrevem. Parecer-vos-ei por vezes mais nerd, mais demorada na escrita, mais vaidosa, mais brincalhona, idealista, sonhadora, desmedida, mas mais verdadeira. Se estiver apaixonada, irei demonstrá-lo. Se estiver triste, também.
Por mais que queiramos fazer de conta de que está tudo bem, não há muito a ganhar com isso (...)
Só uma capa que nem nos protege assim tanto, pois nos afasta de outras pessoas com quem nos poderemos identificar!
E sim, tinhas razão, minha cara amiga: não tinha resposta à tua pergunta: "Porque não escreves sobre isso se é algo tão teu?!". Não sabia.

Se quiserem contribuir para esta lufada de ar fresco, poderão enviar as vossas sugestões ou questões para o seguinte email.

Partilhem as vossas incertezas e inseguranças, dúvidas ou alegrias, e faremos deste cantinho uma discussão e partilha interessante. Certamente. A comunidade que aqui se criou é incrível e muito aberta ao companheirismo! Queres juntar-te? Vale até um simples Oi!

1 comentário:

  1. Ju, deixaste-me imensamente ansiosa com esta mudança por aqui, no Ju Vibes. Sabes que te acompanho, posso não comentar sempre, mas dou um saltinho ao teu blogue muitas vezes por semana, mesmo!
    Mal posso esperar por ver certas temáticas abordadas por ti, principalmente, porque sinto que podemos reflectir e aprender muito contigo. Duas das coisas que me deixaram um bichinho maior atrás da orelha foram os tópicos Enfermagem e Reflexões Diversas. Na verdade, quando dizes que «pouco lhes cativou o entusiasmo com que se fala de amor, da primeira vez que chorei com uma pessoa que cuidei, da primeira vez que ultrapassei a barreira do institucional e me deixei ser eu, a Ju, de farda branca.» fico chocada, porque, só ler esta frase, faz-me querer ficar horas e horas a ouvir-te contar sobre isto, sobre o quão humana és, isso é das coisas mais interessantes numa pessoa.
    Estou aqui para acompanhar na front line o crescimento de um espaço tão fantástico. <3

    ResponderEliminar